02-12-2018 Huemul Circuit Day 3, Paso del Viento Camp - Paso Huemul - Bahia de los Témpanos Camp, El Chaltén, Parque Nacional Los Glaciares, Patagonia Argentina

texto e fotografias: Xavier

Ficha técnica:
Distância - 14,89km
Subida total - 433m
Descida total - 1087m
Altitude Max - 1020m
Altitude min - 263m
Tipo - linear
Caminhada efectiva - 5h30m
track: aqui


video do dia

Acordei por volta das 23h para apreciar o céu, não estava nada de especial, uma meia hora depois voltei a acordar com o ruído de rajadas de vento fortes, pensei que agora é que ia ver a força dos ventos Patagonicos, não dormimos grande coisa o resto da noite com receio que no dia seguinte não pudéssemos caminhar com ventos extremos, o que é perfeitamente normal na Patagonia.
Por volta das 6 da manhã saí da tenda e parecia pior que o que era, falei com o casal francês que também partilhavam os nossos receios, conseguimos dobrar a tenda e tomámos o pequeno almoço na espécie de abrigo que existe ali, senão teria sido completamente impossível acender o fogão.
Tomámos o pequeno almoço e fizemo-nos ao caminho os 4, a história de segurança nos números, ali sabíamos que estava se bem mas passar o Paso Huemul podia não ser tarefa fácil, o trilho continua vários kms paralelo ao glaciar Viedma, 1km antes de subir para o Paso Huemul existe uma secção em que a navegação se torna um pouco complicada, perto de uma ramificação do glaciar. À medida que íamos subindo para o colo ia ficando cada mais vento, atingimos o Paso com 3h15m de caminhada desde o acampamento, o vento estava bastante forte, não ficámos por ali muito tempo.
Pausa snickers e iniciamos a descida para a Bahia de los Témpanos, numa primeira fase desce suavemente, uma meia hora depois eram visíveis uma quantidade enorme de icebergs perto da Bahia de los Témpanos, parei para analisar a carta e para meu total espanto percebi que íamos dormir mesmo ao lado dessa praia, não queria acreditar!! Não fazia a mínima ideia que íamos dormir num sítio assim durante todo o percurso, algo de colossal, ainda por cima iríamos lá chegar cedo, o que daria tempo para deambular à bruta enquanto observasse esses icebergs mesmo ao nosso lado, adoro não ver fotografias antes de partir, adoro a surpresa.
Outra coisa que também não me apercebi é que até lá chegar iria ser uma descida extremamente, repito, extremamente íngreme até chegar a essa Bahia, incluindo partes com cordas onde todo o cuidado é pouco, fiquei impressionado com a inclinação da descida, ainda por cima é em terra batida, ou seja, extremamente escorregadia! É obrigatória muita precaução nesta descida, realmente na carta marca 3 horas para fazer este pequeno bocado entre o Paso Huemul e a Bahia, aí está o porquê!
2 horas depois do Paso chegávamos ao local de acampamento, estava com receio que só houvesse lugar para uma tenda dado o espaço reduzido mas afinal no meio daquela floresta existe lugar para umas 8 tendas, nós fomos os primeiros a chegar, tendo em conta a ventania da noite anterior escolhemos o sítio mais encaixado na floresta possível, montámos a tenda e seguiram-se horas e horas e mais horas de contemplação dos magníficos icebergs, bastava subir alguns metros e via-se também o ponto onde o glaciar Viedma tocava no lago homólogo, talvez dos sítios mais especiais onde acampei, de vez em quando lá se ouvia enormes bocados de gelo a despenharem-se no lago, se a meio da tarde havia vento a partir das 5/6 da tarde não corria uma brisa, permitindo horas de contemplação sem ter frio!
Lá para as 20h fui ferver água e para variar um pouco fui comer para a praia, precisava de descansar, mas não conseguia ir descansar tendo como companhia um cenário destes.
Lá para as 22h lá fui para a tenda, relógio a despertar para a meia noite para ver o céu e segundo alarme para as 5 da manhã para ver o nascer do sol, e é tudo para este dia.
Alguns registos 






 glaciar Viedma






 fantástico






Paso Huemul ao centro


 espantoso








 Paso Huemul


 os icebergs










 parte com corda instalada







 a 5 minutos do acampamento
 fiquei horas por aqui









































 ponto em que o glaciar Viedma se despenha no lago



Sem comentários:

Publicar um comentário