Randonnée en Montagne

Randonnée en Montagne

11e12 -08-2012 Branda da Aveleira - Branda de Real - Chã da Pela - Calçada de Meãs - Poulo da Seida - Alto do Costeiro - Batateiro, Serra da Peneda, PNPG

Há 15dias atrás tínhamos visto um abutre a levantar voo, fomos ao local, onde encontrámos as dezenas de penas e um bezerro que deve ter nascido morto. Curiosos em ver de novo os abutres ainda mais de perto fomos tentar a sorte novamente mas desta feita nem rasto da passarada nem sequer um osso do bezerro. Saímos da Branda da Aveleira já o Sol ia bem alto, descemos à Branda do Furado e seguimos as marcações da GR até Lamas de Vez passando pela Branda de Real, pertecente às gentes de Lordelo, e pela Chã da Pela. Dali seguimos próximos do estradão até ao Porto de Besicande, rumo S, aparecia na carta perto de onde estávamos a Calçada de Meãs(Calçada dos Bicos, se bem que a parte mais extensa é em direcção ao fojo da cabrita), fomos investigar. Com o Alto da Pedrada a SE mesmo ao lado do estradão sai um pequeno troço de calçada formada com lajes grandes, não tem mais de 100m a parte visível. Dali a ideia era contornar à cota as encostas do Alto da Pedrada e do Outeiro Maior e passar no fojo de Rouças rumo ao Poulo da Seida mas já ia ficar para tarde e o nevoeiro estava a chegar. Regressámos pelo mesmo caminho até ao Porto de Besicande e apontámos para o Poulo da Seida com uma progressão fácil. No dia seguinte, graças a uma vista privilegiada para Nascente, só foi preciso subir a um penedo um pouco acima da Branda para apreciar o início de um novo dia, e que bonito que foi este acordar, entre as montanhas e as nuvens, lá subia o Sol. Seguiu-se uma passagem nas Fragas de Ramisquedo, Tomão da Fraga(vista para a Branda da Junqueira) e no Alto do Costeiro onde baixámos e encontrámos o estradão. Ali conhecemos um senhor de Rouças num momento enriquecedor de partilha de histórias e de conhecimento, antes de nos abandonar ainda nos levou a uma nascente, uma tal de Fonte Férrea onde atestámos de líquidos. Na zona dos Golados para pertubar a tranquilidade, eis que no estradão passam por nós mais de uma dezena de "crosseiras". Já no Golo da Areia foi altura de almoçar junto ao charco, dali seguimos até à Branda de Aveleira passando pelo Batateiro, das mariolas que tínhamos feito aquando do percurso Trilho da Branda da Aveleira nem uma restava. Descrição básica: 22km, altitude mínima 925m no Rio Vez e 1253m nas Fragas do Ramisquedo.

início

Branda da Aveleira
Branda do Furado à direita
levada
libelinha
Rio Vez









Branda de Real
Branda de Real
Branda de Real






 











Fojo de Sistelo


Porto de Besicande





Calçada de Meãs
Calçada de Meãs
Calçada de Meãs
Alto das Bezerreiras

vinha o nevoeiro em força




mesa informativa da Rota dos Bicos
a ideia era boa..
Poulo ou Branda da Seida

Poulo da Seida



um final de dia majestoso
bom dia!
entre a montanha e as nuvens lá estava ele
este nascer do sol foi especial

espetacular
Bom dia Xarah
Serra Amarela
lindo
e de repente já parecia um dia diferente
Xarah



Fragas de Ramisquedo
 
Branda da Junqueira ali encaixada
um zoom à Branda da Junqueira
que borboleta linda

planta carnívora, Orvalhinhas
Orvalhinhas
Fonte Férrea

Outeiro de Bois

Charco do Golo da Areia
esta malta trata-se bem


Mamoa do Batateiro
do lado de fora da cerca da Mamoa estava lá isto...


Branda da Aveleira

4 comentários:

  1. é sem duvida um dos mais belos lugares do PNPG...um dia destes terão que conhecer a mata do Ramiscal subindo o rio....fica prometido em breve.
    Essas motas terão que ser denunciadas.Também eu já vi rodados junto à nascente do Vez...
    Abraços,
    João Dias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá João!

      No passado feriado deixei o carro em Avelar e baixei ao Rib. do Arroio, paralelo ao Ramiscal, depois de o atravessar tentei subir ao Couto Grande de onde conseguiria ter uma bela vista sobre todo o vale do Ramiscal, pelo menos das partes cimeiras, porque o resto só subindo o rio, tal não é o declive.
      Na zona dos Bicos nesse dia cruzei-me com um grupo de espanhóis que passaram por mais umas quantas motas ao lado de Lamas de Vez, aliás, para andarem por ali vindos de Avelar ou do Mezio tem que obrigatoriamente passar mesmo ao lado de Lamas e nós não podemos caminhar em certas zonas...já se colocou no youtube o video que tirei.
      Vamos aguardar essa abordagem do Ramiscal para um dia que possas, não tá esqueçido!

      Abraço
      Xavier

      Eliminar
  2. Bom dia! Só percorreram essa parte da calçada de Meãs? Esse troço faz parte da ligação à calçada dos bicos e em sentido nascente ia dar a Gorbelas e Junqueira(vê-se no G.e. o traçado), era o único "caminho" existente, pelo menos nas C.M. antigas é o único que aparece!
    Este fds tentei percorrê-la, mas não dá...em muitos locais está fechada com o piorno!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Jacinto,

      Só percorremos esse pequeno troço,deduzo que a que passe na Gorbelas seja o caminho que desce desde a Seida, mas vou investigar, já um residente nos tinha dito que se lembrava dos tempos em que subia com um rebanho antes sequer de existir o estradão feito na década de 60, creio, e foi esse mesmo senhor, curiosamente, que também nos explicou o que era o piorno, e eu a pensar que era tudo giesta.
      obrigado pela info e algum nome que lhe pareça descabido se puder corrija-me, como me guio pelas C.M. mais recentes existem vários erros nos nomes e nos sítios.

      Cumprimentos
      Xavier

      Eliminar