Randonnée en Montagne

Randonnée en Montagne

30-06-2015 Tour des Muverans dia1, Pont de Nant - Nant - Col des Perris Blancs - Cabane de la Tourche - Rionda - Entre Rionda e Col de Demècre, Vaud, Suisse

texto e fotografias: Xavier
ficha técnica
distância: 16,50km
subida total: 1346m
descida: 456m
caminhada efectiva: 5h40m
tipo: linear
track: aqui

DIA 1

Para a segunda metade desta semana de férias percorremos o belo Tour des Muverans, aqui bem perto de casa, normalmente este percurso é feito em 4 dias, com uma média de 6 horas de caminhada efectiva por dia, aproveitando o facto de estarmos na altura do ano em que os dias são maiores e que são muitos os sítios onde é "possível" montar a tenda íamos tentar fazer as 23 horas de caminhada efectiva em 2 dias e meio, uma vez que íamos bem carregados temos de adicionar algumas horas a essas 23.
Iniciámos o Tour des Muverans em Pont de Nant(1253m), situado na reserva natural do vale de Nant no sopé do Grand Muveran, íamos munidos com tenda e com comida para os 2 dias e meio, já tínhamos saudades de caminhar com malas tão pesadas, é sempre sinónimo de vários dias na montanha.
Partimos por volta do 12h30m, a temperatura estava óptima, entre os 20/25ºC e o céu limpo, de acordo com as previsões tínhamos mais 2 dias óptimos para caminhar até à chegada de uma vaga de calor, com uma hora de caminhada passamos em Nant(1500m) onde saímos da floresta e se abre o circo à nossa frente, almoçamos ali na zona e retomamos a caminhada, tínhamos agora mais de 1000m de desnível até ao Col des Perris Blancs, numa bifurcação não muito nítida saímos à esquerda, o caminho que segue em frente e sobe para a direita é o que vai para o Col des Pauvres, o trilho transforma-se num caminho mais estreito que até ali, vamos ganhando altitude rapidamente passando em diversos "patamares" enquanto nas nossas costas ganha dimensão todo o vale de Nant e os Muverans, Petit e Grand, assim como o Dent de Favre.
Numa outra bifurcação devidamente assinalada com placas, ignoramos o trilho à esquerda para o Col des Martinets e continuamos em frente a subir a vertente rumo ao Col des Perris Blancs(2544m), deste ponto estávamos a 1h15m de distância, passamos um pequeno "campo" nevado e próximo do colo o trilho torna-se mais inclinado à medida que nos vamos aproximando.
Atingido o Col des Perris Blancs(2544m) a paisagem muda completamente, tínhamos subido uma encosta verde e assim que passamos o colo a paisagem torna-se rochosa, muito cascalho à mistura mas com o trilho sempre bem nítido, as vistas do colo estendem-se para lá do Lac Léman, todo o Chablais, montanhas de Leysin, plateau do Rhône... Descemos um pouco, passamos num pequeno albergue militar abandonado e continuamos a descer, passamos em 2 campos nevados que exigiram alguma prudência, pouco antes de passar na cabana de la Tourche eis que do nosso lado esquerdo começamos a ter vista para grande parte do maciço do Monte Branco, e que vista!
Minutos depois passamos na Cabana de la Tourche(2200m) e mudamos de direcção rumo a Sul, em 20 minutos passamos em Rionda onde atestámos água, que miradouro fantástico. Neste ponto existe uma alternativa a quem sofre de vertigens, o caminho fica relativamente estreito e com algumas secções expostas mas nunca com o calibre de um caminho alpino pelo que é facilmente exequível.
Partimos rumo ao Col de Demècre, passando pelo sopé do lindo Dent de Morcles, eram umas 18h e começámos logo a pensar sobre o sítio para pernoitar, é a que as paisagens estavam mesmo a pedir que ficássemos por ali, o tal trilho estreito é realmente espectacular à medida que vamos contornando as pequenas corgas sempre no sopé do Dent de Morcles e sempre com o maciço do Monte Branco no horizonte, os sítios ideais para pernoitar iam-se sucedendo, fomos avançando e parámos num sítio entre Rionda e o Col de Demècre em que o trilho deixava de ter vista para o Lac Léman e para o maciço do Monte Branco, assim como deixaríamos de ter a fantástica vista nas nossas costas para a montanha do Dent de Morcles até ao Col de Demècre, era hora de parar, isto eram umas 19h30m, ainda tínhamos umas 2 horas de luz para caminhar mas não podíamos abandonar aquela vista sem dormir ali, para terminar os atractivos tínhamos também uma bela vista para os Dents du Midi a Oeste, conclusão, tínhamos uma vista impressionante para todo o lado, foi realmente um dos sítios mais interessantes onde já montei a tenda.
Jantámos enquanto assistíamos ao pôr do sol, para sobremesa comemos um spacecake, uma recordação de Amsterdão, uma sobremesa especial num sítio também especial, o céu continuava limpo, aguardamos serenamente enquanto terminava o dia e fiquei acordado até perto da uma da manhã a fazer algumas longas exposições, estava como queria :)!
Foi assim este primeiro dia do Tour des Muverans, inesquecível!
Vamos aos registos fotográficos

local da pernoita


o tour a percorrer nos próximos dias

Pont de Nant



Nant


Grand Muveran


vale de Nant e Grand Muveran à direita




rumo ao Col des Perris Blancs

Grand, Petit Muveran e Dent de Favre
Dent Favre
o que sobra do glaciar des Martinets


e o colo é já ali
Col des Perris Blancs

360 Col des Perris Blancs

montanhas do Chablais
Lac Léman
montanha de Leysin

albergue militar abandonado
Dents du Midi
rumo à Cabane de la Tourche

Lac Léman ao centro


cabana à vista
Dent de Morcles à esquerda e o Monte Branco ao fundo
Mont Blanc


Cabane de la Tourche

maciço do Monte Branco




Dent de Morcles

vista de Rionda
fantástico
nós por cá



Dent de Morcles











o trilho é qualquer coisa de soberbo



Dent de Morcles à esquerda
pareceu-nos o sítio indicado para passar a noite
nós por cá
maciço do Monte Branco



spacecake

maciço do Monte Branco
Dents du Midi
Agulha verde à esquerda e Monte Branco à direita
a lua aparece, completamente cheia
Dent de Morcles
maciço do Monte Branco

maciço do Monte Branco
Dents du Midi
Lac Léman

Col de Demècre

e o Sol despede-se

se o meu gps mental não me falha o Sol desaparece atrás das Cornettes de Bise.




Dents du Midi
maciço do Monte Branco
Dent de Morcles à esquerda
Dents du Midi
plateau do Rhône
que sítio
de novo o Dent de Morcles

2 comentários:

  1. Boas
    Espetaculo, sem palavras para vós que é um privilégio sentirem a montanha com todos os sentidos.
    A reportagem fotográfica e a narrativa tambem me transportaram pela montanha, parabens e boas caminhadas,abraço.
    Serafim (pisatrilhos)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Serafim,

      Foi acima de tudo esse sentir a montanha que nos fez mudar para os Alpes, assim esperamos que continue por mais uns anos.
      Espero que esteja tudo em ordem convosco, tenho visto as vossas aventuras, continuem com as belas caminhadas.

      Abraço
      X

      Eliminar